Pular para o conteúdo principal

"Reestruturação" de 1995: crianças no período noturno!

Este é o terceiro post que mostra os estragos da primeira "reestruturação" do ensino estadual de São Paulo, realizada a partir de 1995 pelo governador Mario Covas, ídolo do atual governador Geraldo Alckmin. Divulgo essas matérias da época para mostrar aos alunos das escolas de luta que o pretexto do Geraldo é exatamente o mesmo alegado pelo antigo governador, ou seja, agrupar os alunos por ciclos. Naquela época, dezenas de milhares de alunos acabaram evadindo por falta de opção, famílias desestruturaram suas rotinas e... a qualidade do ensino só foi piorando.

Tem mais: além do fechamento de muitas escolas - só no primeiro ano foram 150! - várias unidades "reestruturadas" acabaram tendo que voltar a receber alunos de outros ciclos, devido à justa pressão da comunidade e dos Conselhos Tutelares! Ou seja, essa reforma não deu certo!!! E tudo indica que poderá ocorrer a mesma confusão, se a reestruturação do Geraldo for adiante. É claro que ele vai jurar de pés juntos que não, que "hoje" a Secretaria é muito melhor organizada etc. e tal. Pois é, tão bem organizada que o Secretário acaba de cair...

A matéria acima digitalizada (clique na imagem para ampliá-la), foi publicada pelo extinto Diário Popular em 8 de janeiro de 1997 e conta uma história do tipo "acredite, se quiser": crianças de 10 a 13 anos sendo empurradas para o período noturno, pois as duas únicas escolas que existiam no bairro de Amador Bueno, em Itapevi, haviam sido "reestruturadas" para abrigar apenas alunos da 1ª à 4ª série, então o segundo ciclo do Ensino Fundamental passou a ser oferecido no período noturno, que deveria ser destinado para alunos trabalhadores, ou maiores de 14 anos. 

Isso provocou não apenas imensos transtornos para as famílias, mas também a evasão de inúmeros alunos. O Conselho Tutelar da região ficou arrancando os cabelos durante um bom tempo para garantir que as crianças do bairro pudessem voltar a estudar de manhã ou à tarde, mas muitas acabaram evadindo, como mostra a reportagem.

Então você, que está ocupando sua escola e é contra a atual reforma, precisa entender que esse projeto é antigo, já deu zebra há 20 anos, por que daria certo agora?... Já naquela época ele foi idealizado como se os alunos fossem números, e é assim que você tem sido tratado, não é? Apenas um número que representa um determinado "custo" para o estado, já que o Geraldo entende educação como gasto e não como investimento. E agora ele "precisa" cortar custos...

Se o Geraldo (aparentemente) voltou atrás, essa conquista é de todos vocês, alunos que ousaram enfrentar o sistema e a repressão policial! Mas ele ainda vai tentar enrolar seus pais com sua conversa mole (ouviu o pronunciamento dele?...), então fique de olho! E exija que seja realizada eleição DEMOCRÁTICA do Conselho da sua escola, do qual você pode participar e fiscalizar a gestão das verbas, inclusive dos materiais que você encontrou escondidos nas salas da secretaria ou da diretoria...

Se você não tiver lido os dois primeiros posts desta série, clique aqui e aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…