03 abril 2014

A escola tabu nº 68 - Tortura psicológica na escola particular


Já falamos aqui inúmeras vezes sobre o DOMÍNIO que a instituição escola
exerce sobre os pais de alunos, a ponto de às vezes paralizar suas atitudes. Os pais já estão tão acostumados a ouvir que a família e o aluno são os culpados pelo fracasso escolar, que uma simples atitude como mudar imediatamente o filho de escola quando ele sofre constrangimento ou perseguição tem que ser sugerida por quem está fora do problema! Até mesmo quando o filho estuda numa escola particular, ou seja, quando a mudança é muito mais fácil do que na rede pública, onde os pais quase não têm escolha. 

Este é um espaço onde os pais têm toda a liberdade de se expressar, desde que queiram e permitam a publicação de suas mensagens. E muitas vezes seus relatos mostram o que os psicólogos costumam alertar: quando a criança sente que sua falta de adequação à escola causa problemas ou desconforto aos pais, para de contar o que ocorre. É o caso que relatamos a seguir. Leia com atenção a mensagem dessa mãe e nossa resposta a seguir.

Meu nome é karla, moro no RJ e estou tendo dificuldade e falta de expêriência em buscar orgãos e opções para proteger meu filho. Observei que em São Paulo tem alguns, mas não visualizei aqui no RJ.

Meu filho estuda em uma escola particulare no ano passado não reclamou da professora, que era outra. Mas este ano reclama constantement da nova professora e o problema não é só com meu filho.

Casos:

Bullying - Uns garotos que fazem natação junto com meu filho chamam um outro de viadinho que sai da água igual mulherzinha. A professora ri e depois diz à turma para pedir desculpa ao colega, enquanto esse chora muito. Isso não é estimular o bullying?

Queda - meu filho caiu no chão, porque escorregou no chão liso, porque o colega tinha derrubado água. Ela não notificou na agenda nem o socorreu, foi o amigo quem o ajudou.

Mijo - duas vezes não deixou meu filho fazer xixi, e as duas ele fez na calça, sendo que ela falou que ele estava mentindo, que queria brincar e não o deixou ir ao banheiro. Depois de mijado deixou ir, porque três amigos pediram a ela. Quando mijou as outras crianças riram dele e constrangeram, mas ela não disse nem fez nada.

Grito - ele contou para mim que ela grita muito e que ele chega a ficar com dor de cabeça. Que quando falou com ele chegou a soltar gotículas de água no rosto dele.

Perguntas - Ele me fez umas perguntas que eu refiz para coordenadora da escola, que é psicopedagoga: por que a professora grita tanto? Por que ela é tão nervosa? Por que ela fica com cara emburrada?

Tristeza - no dia 20/03 ele chegou triste, chorou muito e pediu para não ir a escola. No dia 21/03 falei com a coordenadora, mas ela diz que na escola não há perseguição, não há bullying, sempre desacreditando do que nós pais levamos a eles. Talvéz para não ter que mudar nada?

Medo - Percebo que meu filho falava e agora não fala mais, mudou a versão que disse e quando a coordenadora o chamou, muito nervoso, ele disse: não sei, não sei, eu fiz xixi na rua. > 

Falsidade - o pior é que esta professora não respondeu a minha reclamação feita na agenda, quando perguntei porque ele havia mijado nas calças. E hoje ela disse desta forma: conforme a Coordenadora conversou com você ontem, o Matheus pediu para ir ao banheiro e foi normalmente como de costume. Não verifiquei que o short dele estava molhado, conversei com ele na entrada e o mesmo me confirmou que ele fez xixi na rua. Ficarei mais atenta, qualquer problema, sinalizo na agenda.

Sustentação da mentira - Hoje quando chegou disse que havia feito xixi na rua, mas o coleguinha dele que viu confirmou que tinha sido na sala. Neste mesmo coleguinha a professora bateu com o livro na cabeça e o chamou de cabeça de mamão. A mãe dele foi falar direto com a diretora e a professora pediu desculpa à mãe, por ordem da direção.

Falta de atuação - quando falei com a coordenadora fiquei com raiva, pois ela disse podia ter vários fatores para a falta de adaptação do meu filho, que podia ser a mudança de método que foi para GPI ou até outros fatores, sempre afastando a possibilidade de ser a professora. Percebo que esta escola só visa dinheiro e ela falou que só tem domínio da parte da psicopedagogia, se for necessário uma psicóloga terei que buscar fora. Meu Deus, mas meu filho está tendo estes problemas, por conta da professora da instituição! 

Hoje meu filho perguntou: por que a professora trata todos os alunos mal? Ele disse que ele foi pegar uma coisa e ela o excluiu da aula de informática amanhã. Tentei voltar para conversar com ela mas ele não quis. Deixa para lá. Não sei o que fazer. Estou com muita raiva. Ela chama a turma de mal educada, compara a turma da tarde com a de manhã, desmerecendo a da tarde, diz que a da manhã está mais adiantada. Só que depois nega tudo e fica por isto mesmo. O que posso fazer?????? Preciso ajudar o meu filho para que não seja mal tratado. Legalmente a quem posso recorrer, até para intimidar a direção para dar mais atenção aos alunos? Saber que estamos cientes dos direitos e dos orgãos que protegem nossos filhos. Eu não encontrei nada. Busquei, busquei, mas não consigo encontrar nada, só vocês. Vou pedir a vocês que me ajudem. Preciso de alguém que tenha passado por isto, ou tenha conhecimento dos passos a ser dados. Se tentarem perseguir e prejudicar meu filho, mesmo ele não querendo contar, como agir? Uma outra mãe falou que tem muitas reclamações dessa professora.
Obrigada pela atenção!
Karla

Nossa resposta:
Karla, essa história é triste demais! O que você está esperando para tirar seu filho dessa escola? Não acredite que o caso dessa professora seja isolado, uma professora só pode se comportar de uma forma tão absurda porque a direção da escola é OMISSA ou CONIVENTE. Mude seu filho imediatamente para uma escola mais competente  e denuncie essa escola para a Secretaria da Educação! Converse com outros pais para irem juntos até à Secretaria. Escola particular é concessão e não podemos permitir que o poder público aceite compactuar com a tortura emocional que estão fazendo com seu filho e outros alunos. Se precisar de ajuda, temos bons contatos com a Secretária Claudia Costin. Ela é uma pessoa muito preocupada com os alunos, e vocês podem contatá-la até pelo twitter: @claudiacostin Boa sorte e mande notícias!

Toda escola, seja pública ou particular, de acordo com o bairro em que está inserida, fica sob a supervisão de um órgão chamado Diretoria ou Delegacia de Ensino, o nome varia de acordo com a cidade ou a região. Esse órgão dispõe de supervisores que deveriam visitar as escolas periodicamente e ajudar na solução de seus problemas. Mas isto no Brasil não funciona! Em cidade nem estado algum!!! Por favor, se alguém souber de uma cidade ou estado que possui uma boa SUPERVISÃO ESCOLAR, nos informe! E, se por acaso funcionar, será para ajudar a direção da escola, às vezes até na contramão do que os pais e alunos precisam. Por isso os pais desconhecem totalmente a possibilidade de procurar a Diretoria de Ensino para pedir ajuda. Aliás, na maioria das vezes, aqueles que procuram a DE levam um chá de cadeira ou são muito mal atendidos, pois o sistema é CORPORATIVISTA, ou seja, as denúncias não vão para frente. Mesmo assim, é necessário que os pais se habituem a cobrar das DIRETORIAS DE ENSINOS e das respectivas SECRETARIAS DA EDUCAÇÃO um bom atendimento e a solução dos problemas. Todos esses órgãos e funcionários são pagos com dinheiro público, o dinheiro dos nossos impostos!!! A legislação básica da educação a favor dos alunos você encontra neste link: http://educaforum.blogspot.com.br/p/leis.html e o resumo está na página inicial deste blog. Coragem, pais, lutem pelos direitos de seus filhos, eles são seu maior patrimônio!

2 comentários:

Anônimo disse...

Bom dia me chamo Alzenira!
Minha filha pegoi p celular em Sala de aula,a professora tomou,Passou para o supervisor q reteu o
aparelho na escola,e so vao entregar com 15 dias,Fui a escola
conversa,pois eles nao mandaram
bilhete e nem ligaram para nós os
responsaveis para informar o
ocorrido....Tentei pegar por 2 vezes,mais so iam liberar para mim.q sou mae,mais q daria suspensao para minha filha....E ainda me falaram q quem decide isso é o conselho da escola,nao a Secretaria de Educaçao...pois entrei em contato com a secretaria e me informaram q isso nao pode acontecer....Oq Devo fazer,pois quero entrar com processo contra essa escola....

Giulia disse...

Qual o nome da escola? É em São Paulo? Mande e-mail para educaforum@hotmail.com